quinta-feira, 29 de agosto de 2013

DEUS E O LIVRO DE GÊNESIS





Oi Salatiel, Graça e Paz Irmão!


Em resposta ao teu vídeo: “Deus e o livro de Gênesis” faremos nossas considerações.

1º) Plantas vieram antes do sol.

O livro que foi escrito por Moisés relata o princípio da “restauração” do planeta Terra. Pois no primeiro capítulo entre os versículos 1 e 2 podemos perceber que houve um caos:
Gênesis 1:1
1 - NO princípio criou Deus os céus e a terra.
Temos um princípio de criação completo com céus e terra. Depois temos uma “terra sem forma e vazia”:
Gênesis 1:2
2 - E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.
Algo cujo interior era “oco”, porém ao seu redor já havia muita água. Em nenhum momento Moisés disse que Deus criou a “água”, pois ela já existia antes de qualquer outra coisa, simplesmente porque sem água não existe possibilidade de vida existencial. Assim temos uma criação a parte em um planeta específico, pois no versículo 1 entendemos que primeiro Deus fez o Universo, mas apenas o planeta Terra foi cercado de água, o que o faz único em relação aos demais planetas existentes em todo cosmos.
Em seguida, vem “haja luz”. Esta “Luz” é uma “Luz” que pode produzir vida existencial:
João 1:1-4
1 - NO princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
2 - Ele estava no princípio com Deus.
3 - Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
4 - Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.
Assim a “Luz” que faz separação entre Dia e Noite nos versículos de 3 a 5 é o “Verbo da Vida”. Observe que em todos os dias da criação Deus fala que “foi a tarde e a manhã” nunca diz: “Foi a noite e a manhã”. Porque esta LUZ estava em toda parte do cosmos e ainda não havia os seres da “escuridão” (noite). 
Romanos 13:12-14
“A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz. Andemos honestamente, como de dia; não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja. Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências.”
Sabemos que:
A fotossíntese é o processo pelo qual a planta sintetiza compostos orgânicos a partir da presença de luz, água e gás carbônico. Ela é fundamental para a manutenção de todas as formas de vida no planeta, pois todas precisam desta energia para sobreviver. Os animais não fazem fotossíntese, mas obtém energia se alimentando de organismos produtores (fotossintetizantes) ou de consumidores primários. A fotossíntese pode ser representada pela seguinte equação:
Luz + 6H2O + 6CO2 -> 6O2 + C6H12O6 clorofila
A água e o CO2 são pouco energéticos, enquanto que os carboidratos formados são altamente energéticos. Portanto a fotossíntese transforma LUZ em energia química e não “calor” em energia química! Planta precisa de Luz e não de Calor para fazer a fotossíntese.

http://www.essaseoutras.xpg.com.br/fotossintese-como-funciona-e-etapas-resumo-para-estudo-com-esquemas/

Assim as plantas (flora) foram criadas para produzir “energia” para os animais (fauna) como fonte de alimento, mas elas mesmas só precisam de água e Luz para sua existência. Luz não significa “Sol” como energia de calor! Já as estações que são determinadas pela translação da Terra em torno do Sol, fazem com que a flora permaneça em equilíbrio, do contrário se produziriam mais plantas do que o necessário. Se há “tarde e manhã” entre os dois primeiros momentos (dias) da criação então significa que havia LUZ, mas não havia calor, pois o calor vinha de dentro da terra. 


Gênesis 2:6
“Um vapor, porém, subia da terra, e regava toda a face da terra”.
Os luminares vieram a ser criados para a vida existencial dos animais (fauna) e não da flora!

2º) Cobra falante:

Existem duas passagens onde animais falam na escritura:
Gênesis 3:1
“ORA, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o SENHOR Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim?”

Este “ser” era o mais astuto que todos os animais de carga quadrúpede (alimária) 1. Animal irracional; animália. 2. Animal de carga. 3. Pessoa estúpida.
A definição de alimária segundo o conceito biológico é de um animal que não tem raciocínio cognitivo, portanto esta serpente não era igual às demais serpente da criação:
Apocalipse 12:9
9 - E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele.
Um querubim (anjo) se introduz como uma serpente, na forma de um animal, e passa a fazer parte da história da humanidade em Gênises 3:1. Toda criação inteligente tem seu livre arbítrio, inclusive os anjos!
Números 22:28
“Então o SENHOR abriu a boca da jumenta, a qual disse a Balaão: Que te fiz eu, que me espancaste estas três vezes?”
Já este animal falou porque Deus lhe abriu a boca para falar, ou seja, um animal irracional que teve sua boca aberta para proferir um oráculo de Deus, isto chama-se “prodígio” (Acontecimento que é ou parece estar em contradição com as leis da natureza.)
A diferença entre estas duas manifestações são seus propósitos (objetivos). A primeira para foi para enganar e a segunda para salvar.

3º) Um Jardim invisível:

Não acredito que seja invisível. Apenas confio que esteja invisível aos nosso olhos:
“Os relatos que originaram o Gênesis seriam provenientes de uma época em que os mares eram mais baixos. A região do Golfo Pérsico tem uma profundidade média de 50 metros e máxima de 90 metros, portanto toda a área era região acima do nível do mar. Os dois rios atualmente não identificados (Pison e Gion) possivelmente seriam rios que chegariam ao golfo vindos do Irã ou da Península Arábica. O dilúvio teria resultado na subida do nível dos mares, inundando a região do Golfo e consequentemente ocultando sob o mar a localização do Jardim do Éden, possivelmente alterando o clima da região e contribuindo para a desertificação da península arábica.” 
Então está oculto aos nossos olhos, mas não que ele não exista! Jacques Cousteau foi um oficial da marinha francesa, documentarista, cineasta e oceanógrafo mundialmente conhecido por suas viagens de pesquisa, e ele disse que buscava descobrir a localização exata do Éden. Morreu sem conhecê-la? Não sabemos!
Mas tem uma coisa que vc disse que eu achei muito interessante: “Somente uma criança poderia acreditar nos relatos de Gênesis”. A simplicidade e total ausência de des-confiança que as crianças possuem são característica de sua pureza e inocência. Eu não me admiro que os homens em sua sabedoria e conhecimento, estejam cada vez mais distantes de Deus.

4º) Caim casou com uma mulher invisível:

Caim casou com uma de suas irmãs. Na genealogia bíblica dificilmente se apresentam as mulheres. Assim temos que Adão gerou filhos e filhas, porém apenas os filhos são contabilizados:
Gênesis 5:3-4
“E Adão viveu cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem, e pôs-lhe o nome de Sete. E foram os dias de Adão, depois que gerou a Sete, oitocentos anos, e gerou filhos e filhas.” Então não sabemos quantas filhas Adão e Eva geraram entre Caim e Abel, visto que o nome de mulheres não é contabilizado na genealogia de Adão.

5º) Caim povoa e edifica um cidade em duas gerações:

O fato de estes primeiros humanos terem vida longa (perto de 1000 anos) criou a possibilidade de se povoar cidades com muitos descendentes diretos, pois havia o cruzamento entre filhos e filhas. Edificar uma cidade, significava tão somente ter várias atividades que pudessem fornecer a troca de produtos e serviços dentro de um mesmo perímetro. Em Gênesis 4 diz que Abel era pastor de ovelhas e Caim lavrador (agricultor), portanto as “cidades” começaram a existir a partir da troca de produtos e serviços. Uma família ou um clã poderiam formar uma cidade dependendo do número de produtos ou serviços que ela pudesse fornecer e trocar entre si.

6º) Deus se agrada do desodorante feito de sacrifícios de animais:

O sacrifício de animais nas escrituras não é algo que o homem estabeleceu. O primeiro sacrifício foi feito pelo próprio criador em Gen 3:21, afim de prover para Adão e Eva uma expiação pelo pecado (pagamento). Adão e Eva entenderam que a morte não teria poder eterno sobre eles, pois o pecado foi expiado através do animal sacrificado. Se alguém (animal) pagou pela condenação (morte) em lugar do homem (Adão e Eva), então era certo que haveria uma vida pós-morte esperando por eles (esperança). Sangue é símbolo da vida, e quando um animal é sacrificado, o sangue derramado deste animal simboliza o pagamento (oferta) pelo pecado do homem arrependido. Se o pecado foi expiado já não resta mais condenação para aquele cujos pecados foram pagos (quitados).
Romanos 3:23-26
“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Ao qual Deus propôs para propiciação (intermediação) pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus; Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.”
Gênesis 3:21
“E fez o SENHOR Deus a Adão e à sua mulher túnicas de peles, e os vestiu.”
Portanto, desde Gênesis até Malaquias, o tempo todo um “Cordeiro” é sacrificado, como uma simbologia do sacrifício de Jesus Cristo como oferta eterna pelo pecado de toda a humanidade:
João 1:29-30
“No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. Este é aquele do qual eu disse: Após mim vem um homem que é antes de mim, porque foi primeiro do que eu.”
Apesar de cronologicamente João ser mais velho que Jesus, ele declara que Jesus é antes dele, ou seja, já existia num período anterior a tudo que foi criado.
Apocalipse 13:8
“E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.”
Portanto, Deus se agrada do sacrifício de animais no Antigo Testamento, pois ele tem uma relação direta com o sacrifício de Jesus, seu Filho unigênito. A partir do Novo Testamento, o sacrifício de Jesus Cristo substitui o de animais, visto que este era apenas uma simbologia daquele.

7º) Um barco consegue armazenar todas as espécie do planeta:

Talvez vc tenha passado desapercebido, mas Deus disse exatamente quais as espécies que Noé traria para arca:
Gênesis 7:2-3
“De todos os animais limpos tomarás para ti sete e sete, o macho e sua fêmea; mas dos animais que não são limpos, dois, o macho e sua fêmea. Também das aves dos céus sete e sete, macho e fêmea, para conservar em vida sua espécie sobre a face de toda a terra.”
Existe uma relação de animais limpos e não limpos em Levíticos 11. Assim vc poderá se familiarizar com quais espécies Deus orientou que Noé recolhesse para arca. Estes animais ficaram com Noé dentro da arca por um ano e não por quarenta dias como vc mencionou. Quarenta dias foram os dias de dilúvio (chuva). E depois que cessaram as chuvas, ouve: Gênesis 7:24
“E prevaleceram as águas sobre a terra cento e cinqüenta dias.” Depois destes, Noé esperou mais quarenta dias para soltar o primeiro animal que foi um corvo. Estes relatos estão entre os capítulos 7 e 8 de Gênesis.

8º) O planeta todo foi inundado:

Na geografia do AT temos 2/3 de terra para 1/3 de água (rios e mares). Hoje temos 1/3 e terra para 2/3 de água (rios e mares). Porém o que sabemos pelas escrituras, é que desde o início da criação, quando tudo era água e não havia terra ainda formada, as águas de Gênises 1:2 eram de águas doces. As teorias científicas para explicar as origens do sal marinho começaram com Edmundo Halley em 1715, que propôs que os sais e outros minerais foram transportados para o mar pelos rios, tendo sido sugado da terra por queda da chuva, lavando as rochas. Mas de Adão até Noé não havia caído sobre a terra a chuva, então temos um período de acúmulo de nuvens sendo formado de aproximadamente 1650 anos.
Gênesis 2:5
“E toda a planta do campo que ainda não estava na terra, e toda a erva do campo que ainda não brotava; porque ainda o SENHOR Deus não tinha feito chover sobre a terra, e não havia homem para lavrar a terra.”
Gênesis 6:17
“Porque eis que eu trago um dilúvio de águas sobre a terra, para desfazer toda a carne em que há espírito de vida debaixo dos céus; tudo o que há na terra expirará.”
Ninguém acreditou em Noé porque o que ele dizia que iria acontecer , ou seja, chover, não era algo conhecido nem provado por homem algum daquela época.


9º) Incesto:

Diferentemente da nossa cultura, a procriação no AT era uma questão de sobrevivência e manutenção da família. Quanto mais filhos um casal pudesse gerar isto lhe garantiria a posse de uma terra, como proteger as suas lavouras e criações. Como as filhas de Ló haviam deixado seus respectivos maridos na cidade de Sodoma (Gen 19:14) que fora destruída, e sua mãe acabara de morrer, então o incesto foi praticado, não por vontade de Ló, mas de suas filhas:
Gênesis 19:31
“Então a primogênita disse à menor: Nosso pai já é velho, e não há homem na terra que entre a nós, segundo o costume de toda a terra”.

10º) Mulher se transforma em estátua de sal:

Gênesis 19:17
17 - E aconteceu que, tirando-os fora, disse: Escapa-te por tua vida; não olhes para trás de ti, e não pares em toda esta campina; escapa lá para o monte, para que não pereças.
O que aconteceu aqui neste momento pode ser explicado. Toda aquela região era cercada de poços de betume (petróleo), e o Senhor havia dito que iria fazer chover fogo e enxofre sobre a terra:
Gênesis 14:10
“E o vale de Sidim estava cheio de poços de betume; e fugiram os reis de Sodoma e de Gomorra, e caíram ali; e os restantes fugiram para um monte”.
Assim Ló disse:
Gênesis 19:19-22
“Eis que agora o teu servo tem achado graça aos teus olhos, e engrandeceste a tua misericórdia que a mim me fizeste, para guardar a minha alma em vida; mas eu não posso escapar no monte, para que porventura não me apanhe este mal, e eu morra. Eis que agora aquela cidade está perto, para fugir para lá, e é pequena; ora, deixe-me escapar para lá (não é pequena?), para que minha alma viva. E disse-lhe: Eis aqui, tenho-te aceitado também neste negócio, para não destruir aquela cidade, de que falaste; Apressa-te, escapa-te para ali; porque nada poderei fazer, enquanto não tiveres ali chegado. Por isso se chamou o nome da cidade Zoar.”

Mas no percurso até Zoar, a mulher de Ló ficou para trás:
Gênesis 19:23
“Saiu o sol sobre a terra, quando Ló entrou em Zoar”.
Gênesis 19:24-26
“Então o SENHOR fez chover enxofre e fogo, do SENHOR desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra; E destruiu aquelas cidades e toda aquela campina, e todos os moradores daquelas cidades, e o que nascia da terra. E a mulher de Ló olhou para trás e ficou convertida numa estátua de sal”.
Na verdade, a mulher de Ló foi apanhada no caminho por chamas provocadas por este processo de queima dos poços de betume daquela região, que eram quase que impossíveis de serem extintas, exceto com areia, urina ou sal.
(processo de abafamento). Assim entendemos que houve um processo de queima seguido de um abafamento. O Vale de Sidim ("Vale dos Campos") era descrito como um lugar paradisíaco. Ocupava uma área aproximadamente circular no vale inferior do Mar Salgado, actualmente submerso pelas suas águas salgadas. A região é chamada em hebraico de Kikkár que significa "bacia". A pequena península na margem oriental do Mar Salgado, é chamada em árabe de El-Lisan que significa "a língua". Desde a península de El-Lisan ao extremo sul, se estenderia o Vale de Sidim. O seu fundo registra uma profundidade de 15 a 20 metros, enquanto para norte da península, o fundo desce rapidamente para uma profundidade de 400 metros. Assim todo aquele vale (campina) havia muito salinidade no vento.

11º) Bimbar sem marcar gol é igual a morte:

Vamos entender o contexto desta história. Judá é um dos doze filhos de Jacó. Segundo a tradição, os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó deveriam tomar para si mulheres dentre os seus irmãos, ou seja, havia onze irmãos que possuíam filhas e Judá foi escolher uma mulher dentre os cananeus. Os descendentes de Abraão entendiam que não deveriam ter relações com mulheres de outros povos, pois isto causaria “mistura” a nação cuja promessa foi feita a Abraão que ele seria pai. Assim começa o texto:
Gênesis 38:1
“E ACONTECEU no mesmo tempo que Judá desceu de entre seus irmãos e entrou na casa de um homem de Adulão, cujo nome era Hira, E viu Judá ali a filha de um homem cananeu, cujo nome era Sua; e tomou-a por mulher, e a possuiu.”
Judá, tomou uma mulher para Er, o seu primogênito, e o seu nome era Tamar. A sequência da “mistura” continuou. A escritura não define qual a “maldade” que Er cometia aos olhos do Senhor, e o Senhor o matou porque era mau. Na sequência, Judá insiste na mistura dos povos. Agora pede que seu filho do meio suscite filhos de seu irmão morto, o que para Onã não era um bom negócio, visto que a herança paterna (bênçãos materiais) seria dividida com Tamar e seus filhos, diminuindo assim a herança de Onã e de Selá! Assim Onã começou a enganar Judá seu pai, e Tamar sua cunhada, quebrando a lei do Levirato. Por este motivo Deus o matou, por se recusar a dividir a herança com Tamar e seus filhos!

Finalizando, voltemos para a árvore do conhecimento:

O que a serpente quis despertar em Adão e Eva foi a cobiça, e isto ela o fez usando um engano:-“certamente não morrereis”. Adão e Eva foram criados com a para serem eternos. Se não tivessem cobiçado eles seriam eternos. Deus havia colocado uma árvore no meio de Jardim para servir de fruto para vida eterna:
Gênesis 3:22
“Então disse o SENHOR Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente,”
Ao contrário do que vc disse no vídeo eles morreram sim. Adão morreu com 930 anos. Não completou “um dia” de vida no tempo de Deus:
II Pedro 3:8
8 - Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que “um dia” para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.

Um dia de vida no Kairós de Deus seria de mil anos no Cronos do homem, assim Adão e Eva não viveram nem “um dia” completo de Deus, morrendo no dia que comeram da árvore do conhecimento. Não se esqueça: Deus fez toda a criação em “seis dias”. Imagine quantos “dias” de vida teriam Adão e Eva hoje?
Verdadeiramente a árvore nos trouxe o conhecimento: Na cobiça morremos. A humanidade está destruindo o planeta por causa de cobiça. As pessoas se matam por causa de cobiça. Até as coisas celestiais se quer obter por cobiça. Vc disse que eles viram os anjos... que anjos? Que “plenitude” da criação vc diz que eles tiveram acesso que não seja apenas o que estes nossos olhos podem ver? Que vantagem vc acha que eles tiveram que vc tb não tenha?

Entende-se que os livros da Lei, chamados pentateucos, são de autoria de Moisés não porque existam provas irrefutáveis sobre isto, mas porque Jesus e os apóstolos fazem referência a eles (Os livros) chamando-os pelo nome de Moisés:
João 5:45-47
“Não cuideis que eu vos hei de acusar para com o Pai. Há um que vos acusa, Moisés, em quem vós esperais. Porque, se vós crêsseis em Moisés, creríeis em mim; porque de mim escreveu ele. Mas, se não credes nos seus escritos, como crereis nas minhas palavras?” Isto é fato: Quem não crê nos escritos de Moisés como crerá nas palavras de Jesus? Resposta: Não crerá!
Romanos 15:4
“Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança.”

Nossa esperança não está na terra, nem nos homens da terra. Nossa esperança está no criador da terra: Jesus Cristo!

Salatiel, meu irmão, “crer” naquilo que se vê não exige nenhuma obra espetacular. Crer naquilo que se não vê exige fé (confiança). Confiar no que não se vê, nem se pode tocar ou sentir é loucura. Se fores sábio serás um louco se fores louco, serás um sábio, pois a loucura de Deus é sabedoria para os homens, porém toda sabedoria humana é loucura para Deus!
Espero ter correspondido aos seus argumentos com simplicidade e respeito! Fique a vontade para comentar! Até o próximo encontro!
Postar um comentário