quinta-feira, 29 de agosto de 2013

TODOS PERDOADOS

Outro dia eu disse a uma pessoa, que diante de Deus, não existe nenhum pecado para condenar qualquer ser humano a uma destruição eterna. Ela não entendeu a dimensão da afirmativa e “torceu o nariz”. Então resolvi abrir este estudo analítico da trajetória do pecado em relação aos homens e em relação a Deus.
Paulo nos diz que o pecado entrou no mundo por meio de uma só ofensa, e por esta ofensa, a morte entrou no homem. Desfazer este processo de morte em nós foi realizado por meio de uma só atitude de Graça e a vida pode nos invadir novamente:
Romanos 5: 15-16
15 - Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos.
16 - E não foi assim o dom como a ofensa, por um só que pecou. Porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade, para condenação, mas o dom gratuito veio de muitas ofensas para justificação.
Cooperando com esta afirmativa, temos ainda mais um complemento de Paulo:
I Corintios15: 54-57
54 - E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória.
55 - Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno (sepultura), a tua vitória?
56 - Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.
57 - Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso SENHOR Jesus Cristo.
Assim concluímos que a morte não tem mais o poder de aprisionamento devido ao pagamento pelo pecado, não apenas de Adão, mas do mundo inteiro:
I João 2:1-2
1 - MEUS filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.
2 - E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo.
Então se Cristo perdoou a dívida (de morte) que era a punição (condenação) pelo pecado de Adão o qual passou a todos nós, por que Paulo não afirma que todos serão salvos?
Simples. A morte não tem mais a força para aprisionar as almas. O pecado não tem mais o poder de nos matar, o que resta é: Onde eu quero passar a minha eternidade?
O que muitos ainda não entenderam é que o Evangelho é a boa nova de vida eterna. Um caminho a ser percorrido para se chegar a um lugar ou dimensão. Onde não há mais nenhum impedimento para lá se alcançar, a menos que não se queira ir até lá. Então Jesus disse:
João14: 4-6
4 - Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho.
5 - Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho?
6 - Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.
O Caminho foi inaugurado por Jesus. Ele ressuscitou e abriu este caminho para nós e o nome desta estrada é Evangelho! Assim, nenhuma condenação há para aqueles que decidirem fazer este Caminho no coração. Mas para quem está perdido, querendo encontrar um caminho de vida eterna precisa ouvir que Ele existe e que está próximo do coração. Basta crer!
Crer faz toda diferença. Pois aquele que crer encontra o Caminho, mas aquele que não crer está sem Caminho de vida eterna, restando para ele um lugar eterno onde não está vida, senão aquilo que ele sempre aceitou como realidade factual. Sua morte.
Este Caminho é feito em amor e perdão. Aquele que anda no Caminho de amor e perdão encontrou o Caminho de vida eterna. Este Caminho chama-se Jesus, e quem nEle está nunca se desviará dEle pois é um Caminho de Vida e não de morte!
Postar um comentário