terça-feira, 3 de setembro de 2013

ALIMENTO É PARA ESPIRITUAIS

“Sempre dou graças a Deus por vós, pela graça de Deus que vos foi dada em Cristo Jesus; porque em tudo fostes enriquecidos nele, em toda palavra e em todo o conhecimento, assim como o testemunho de Cristo foi confirmado entre vós; de maneira que nenhum dom vos falta, enquanto aguardais a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual também vos confirmará até o fim, para serdes irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo”. 1 Cor. 1:4-7. (grifo nosso).
“E eu, irmãos não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a criancinhas em Cristo. Leite vos dei por alimento, e não comida sólida, porque não a podíeis suportar; nem ainda agora podeis; porquanto ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja e contendas, não sois porventura carnais, e não estais andando segundo os homens? 1 Cor. 3:1-3. (grifo nosso).
Segundo a palavra “nele” no primeiro verso acima fica entendido que ela tem seu cumprimento “em Cristo”, onde habita todo o conhecimento e sabedoria da divindade (Col. 2:9), portanto Paulo está declarando que, pelo fato da igreja ter recebido a Cristo em seus corações, lhes deu a condição de possuírem toda a riqueza da glória de Cristo (Rm. 9:23-24), e confirma esta verdade no cap 3 nos versos 10 a 11.
E ainda, o que vemos aqui também, é a preocupação do Apóstolo Paulo em dar a igreja de Corinto um mantimento que traga crescimento e fortalecimento espiritual, algo que transcenda o conhecimento das coisas deste mundo, algo que se apóie em conhecimento das coisas espirituais e não terrenas; uma mensagem que traga coisas espirituais à igreja e não terrenas! (2 Cor. 4:18); no entanto, se vê impedido devido a uma deformidade na vida espiritual da igreja. Ele a chama igreja de crentes “carnais”. Ora, se a igreja foi enriquecida em toda palavra e em todo conhecimento a cerca da verdade, como também lhe fora distribuídos todos os dons espirituais, para que o corpo fosse edificado, como entender que os crentes de Corinto não puderam receber um alimento sólido? Um alimento que traria uma visão maior acerca do Reino eterno de Deus!
Entendemos que o impedimento que Paulo quer nos dizer para lhes dar uma comida sólida em 1 Cor. 3 é acerca de procedimentos ainda da vontade humana sujeita a um espírito do mundo (Carnal). O que é guiado pelo Espírito diz-se “espiritual”, e o que é guiado pelo impulso da vontade humana diz-se “carnal” (1 Cor. 2:12-15), e ele diz que isto é andar segundo os homens. A que homens ele está se referindo?
 Mais à frente no cap. 3 nos vs. 4 a 9 ele define estes homens. Na verdade ele se refere a si próprio e também a outros líderes da igreja (como Apolo e Pedro). Não que eles, os líderes, estivessem disputando a liderança, mas a igreja os disputava a cerca dela, e o fato da igreja se dividir a cerca destes homens os tornava uma igreja mundana (1 Cor. 2:12). O que estava acontecendo eram divisões acerca de quem ministraria. Invejas acerca de quem têm o maior número de dons ou atua com mais manifestações pelo uso poder do Espírito.
 Mas Paulo deixa claro que eles (os ministros) não são nada (vs. 7), pois eles não podem trazer o crescimento, apenas conforme a medida da graça que cada um recebeu de Deus, eles contribuíram para que o próprio Senhor viesse a dar o crescimento na vida de cada um na igreja. O espírito do mundo traz para dentro da igreja uma glória do mundo, pois ela se baseia no sistema do mundo, onde existem concorrências entre os que ministram. Cargos e patentes estão sendo disputados a fim de obterem maior poder e autoridade entre os homens.  A igreja copiou o sistema de hierarquia do mundo. No mundo há funcionário, subchefe, chefe, gerente, diretores... na igreja deram os ministérios em hierarquias: há zeladores, diáconos, levitas, presbíteros, pastores e apóstolos! Como se pastores estivessem acima dos presbíteros e abaixo dos apóstolos. O próprio Senhor Jesus nos advertiu sobre isto quando Tiago e João, filhos de Zebedeu, dispituvam uma posição maior no Reino de Deus e Jesus disse:
“Então Jesus chamou-os para junto de si e lhes disse: Sabeis que os que são reconhecidos como governadores dos gentios, deles se assenhoreiam, e que sobre eles os seus grandes exercem autoridade. Mas entre vós não será assim; antes, qualquer que entre vós quiser tornar-se grande, será esse o que vos sirva; e qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, será servo de todos. Pois também o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos”. (Mc. 10:42-45; Lc. 9:46-48; 22:24-30).
Hoje a igreja continua se dividindo da mesma maneira. Se eu ministro há quem só quer ouvir o que eu falo, ou ainda pior, se só eu ministro eu impeço a igreja a não ouvir outros, e ainda o mais terrível, eu escolho quem pode e quem não pode ministrar, pois os outros podem trazer confusão naquilo que eu ensino, e nisto também estou errando (Mc. 9:38-41)! Mas o que palavra nos diz acerca destas coisas, afinal há muitos falsos profetas e falsos mestres entre nós? (2 Cor. 11:10-15; 2 Pe. 2:1; 1 Jo. 4:1; Jd. 4-12).
“Segundo a graça de Deus que me foi dada, lancei eu como sábio construtor, o fundamento, e OUTRO edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele. Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo (1 Cor. 3:10-11). Não há impedimento acerca de quem ministra e para quem se ministra. Paulo simplesmente traz a responsabilidade para quem ministra, pois o que for verdadeiro (ensino puro) crescerá, pois o próprio Deus é quem dá o crescimento como também o próprio Espírito de Deus é quem nos guia a toda a verdade (Jo. 16:13, 1 Jo. 2: 20-21, 27).
Mas como saber se o que tenho ouvido é a pura palavra do Senhor?
No livro de Atos dos Apóstolos havia um grupo de pessoas pertencentes a uma cidade chamada Beréia a qual foi citada devido a um cuidado especial que tomavam acerca daquilo que ouviam:
“E logo, de noite, os irmãos enviaram Paulo e Silas para Beréia; tendo eles ali chegado, foram à sinagoga dos judeus. Ora, estes eram mais nobres do que os de Tessalônica, porque receberam a palavra com toda avidez, examinando diariamente as Escrituras para ver se estas coisas eram assim. De sorte que muitos deles creram, bem como bom número de mulheres gregas de alta posição e não poucos homens”. (At. 17:10-12). Parece que até a cultura humana influencia no cuidado das coisas espirituais, “como pessoas mais nobres (ávidas, insaciáveis) e pessoas de alta posição (social)!” A Palavra de Deus nos instrui a consultarmos as Escrituras (estudarmos) diariamente a respeito de tudo que ouvimos e somos ensinados. Quem não tem este cuidado fica refém de homens gananciosos com espírito do mundo e do anticristo!
“E, se alguém sobre este fundamento levanta um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; pois aquele dia a demonstrará, porque será revelada no fogo, e o fogo provará qual seja a obra de cada um” (1 Cor. 3:12-13). Nós saberemos no dia calamidade, ou na provação pelo fogo, pois então conheceremos se aquilo que foi edificado em nossas vidas foi edificado com alimento sólido (ouro, prata e pedras preciosas) ou com leite (madeira, feno e palha), pois o fogo provará!
Mas há uma advertência para quem ministra a palavra de Deus. Paulo diz que nós ministros estamos edificando a casa de Deus, pois a igreja que somos nós, é também o santuário de Deus (1 Cor. 3:16); e se nós, ministros da Palavra, edificarmos uma igreja que venha ser destruída pelo fogo (2 Cr. 1:6; 4:8; 7:5; 2 Ts. 1: 6-7; Pe. 1:7) por deixamos de dar o alimento sólido então o Senhor nos destruirá! ( 1 Cor. 3:17). Então Paulo nos deixa um sábio conselho para aquele que ensina: Não busquemos a sabedoria segundo os padrões deste mundo ou desta era, pois ela é fútil (1 Cor. 3:20), nem tão pouco nos deixemos ser envolvidos pela glória deste mundo nem a dos homens, pois não há glória humana que não venha ser aniquilada no dia do Senhor. Isto fala de aceitarmos as predileções da igreja como forma de acalentarmos glória ao nosso ego!
Nossa responsabilidade é a de trazer um alimento sólido, porém se temos uma igreja criança devido a falta de entendimento quanto a quem pode ministrar, então somente nos resta o caminho da advertência devida aos crentes carnais, e dizer-lhes: Não podemos lhes dar um alimento sólido devido a falta de entendimento a cerca das coisas mais simples do evangelho! Temos que voltar com esta igreja aos princípios da Palavra de Cristo que nos ensina que maior é aquele que serve; e aquele que quiser ser o primeiro será o que sirva!
Mas como reconhecer a diferença entre um alimento “leite” e um alimento “sólido”? E porque as Escrituras citam dois tipos de alimento? (Hb. 5:11-14).
“No livro de Hebreus há um discernimento acerca destas coisas, pois todo o livro trata da pessoa de Cristo, Sua Supremacia, Seu Sacerdócio, Sua Suficiência. Apresenta Cristo como plena e definitiva revelação de Deus, ultrapassando em muito a revelação preliminar e limitada do AT. As profecias e as promessas do AT são cumpridas na “nova aliança” da qual Cristo é o mediador. O livro de Hebreus poderia ser chamado “o livro das coisas mais excelentes” visto que as duas palavras gregas traduzidas por “melhor” e “superior” ocorrem 15 vezes na carta”. (Comentário bíblico Introdução. NVI)
Posso crer que alimento sólido  fala do conhecimento acerca da própria pessoa de Jesus (Rm. 1:28; 15:14; 1 Cor. 15:34; 2 Cor. 2:14; 2 Cor. 4:6; 2 Cro. 10:4-5; Ef. 1:17; 4:13; Fil. 1:9; 3:8; Col. 1:9-10; 2:2; 3:10; 1 Tm. 2:4; 2 Tm. 3:7; Tt. 1:1; Fil. 1:6; Hb. 10:26; 2 Pe. 1:2-3, 8; 2 Pe. 2:20; 2 Pe. 3:18; 1 Jo. 2:20, 27), evidenciada por toda a Escritura e desconhecida por grande parte da igreja. Sabemos tudo a cerca do que Deus pode “fazer” mas nada sobre o que Ele requer de nós como Deus que ELE É, pois não o conhecemos verdadeiramente!
Quando a igreja se voltar para a verdadeira adoração a Deus ela não terá mais que se preocupar com as coisas deste século (Mt. 6:33), nem se afligir por coisas terrenas, mas sim pelas espirituais que são eternas. O alimento sólido é o único alimento que pode combater uma enfermidade espiritual que vem no fim dos tempos: A APOSTASIA DA IGREJA! Na verdade, esta enfermidade já está entre nós!

Amados, não se deixem enganar, Deus não tem o culpado por inocente, ele trará sua manifestação de Justiça sobre toda a terra e somente um Reino que não pode ser abalado (Hb. 12:27-29) poderá permanecer face a Sua manifestação de indignação e ira (Naum 1:2-10), e este Reino está sendo edificado sobre os fundamentos dos Apóstolos e dos profetas (Ef. 2:20-22), fala-se de uma Palavra sólida para preparar a igreja do Senhor para o Dia do Senhor que está chegando. Busquem conhecer ao Senhor! 
Postar um comentário