terça-feira, 3 de setembro de 2013

CONHECENDO A VONTADE E A VERDADE

Por vêzes vemos no Evangelho o apelo do Apóstolo Paulo ao Espírito Santo de Deus, suplicando que Ele nos leve ao pleno conhecimento de Cristo, ao pleno conhecimento da verdade, enfim, que tomemos consciência cada vez mais profunda a cerca da Graça de Deus. (1 Cor. 1:4-6; Ef. 1:16-17; Col. 1:9).
Então pensamos que Deus abrirá nossas mentes enquanto dormimos e que ao acordarmos perceberemos uma biblioteca de sabedoria e conhecimento de Deus implantada em nossa consciência. Se pensávamos que era assim que o “pleno conhecimento da verdade de Deus” nos seria dado nos enganamos. O que não percebemos nesta súplica é a dimensão do que envolve a não execução desse benefício.
O que muitos tem em mente a cerca do que seja “o pleno conhecimento de Cristo” seja informações culturais, filosóficas, geográficas, religiosas, teológicas que envolvam todos os aspectos de conhecimento dentro e fora do contexto Bíblico. Este é outro engano! O Pleno conhecimento de Deus não diz respeito a informações que eu tenho que ter ou saber, mas em transformações em meu ser!
Vemos aqui a verdadeira dimensão do que Paulo pede ao Espírito Santo de Deus. Uma mudança de mente em nós a fim de que experimentemos a mente de Cristo e que por Ela sejamos conduzidos no presente tempo. Este processo de metanóia, que em linguagem mais simples, é uma lavagem de mente e renovação de pensamentos e de raciocínios (2 Cor. 10: 4-6; Tit. 3: 4-6; Rom 12:2). Portanto experimentar a mente do Senhor é experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus para nós.
Esta verdade faz uma grande diferença entre o que Paulo ora a Deus e o que ouvimos como mensagens do “evangelho” em nossas igrejas. Vemos pessoas fazendo campanhas de oração, jejuns, sacrifícios em busca do conhecimento da vontade de Deus para suas vidas, mas no fundo, o que elas querem é as aprovações de Deus para seguirem seus planos rumo a árvore do conhecimento do bem e do mal.
A vontade de Deus não é o primeiro carro, emprego, casa, marido, esposa, filhos, ou qualquer outra coisa que se relacione com o presente século ou o curso deste mundo. A vontade de Deus é uma consciência cada vez mais aprofundada a cerca do sacrifício de Jesus Cristo para que possamos ser feitos filhos herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo a fim de obtermos a mente de Jesus e andar como Ele andou!
A vontade de Deus a qual buscamos experimentar é a consciência, cada vez mais profunda, a cerca do meu ser, cujo pecado está enraizado em meu corpo de morte; porém todos os dias renovo a minha mente pelo Espírito Santo de Deus a fim de manter o meu corpo, os meus membros, a minha alma e o meu espírito em santificação, que é o meu culto racional diário que faço a Deus.
Chegar ao pleno conhecimento da verdade é ser completamente entupido de Deus onde não haja mais espaço para o velho homem ainda encontrar fôlego de vida. É ser entupido de fé que diante de qualquer enfermidade, dor, problemas conjugais, familiares, financeiros eu possa ser experimentado a guardar a fé sem ser destruído (2 Cor. 4: 7-11; Fil. 4: 10-13), mesmo sabendo que não é solução dos problemas que fazem com que eu acredite que Deus me ama!
Chegar ao pleno conhecimento da verdade é resistir a natureza pecaminosa da alma a fim de sermos levados a andar pelo Espírito de Deus e sermos conhecidos como filhos de Deus na terra. (Rom 8: 12-14).
Chegarmos ao pleno conhecimento da vontade de Deus é fugirmos do pecado que tão de perto nos rodeia e que quer novamente nos escravizar a fim de o servimos para morte eterna, pois Deus a cerca disso nos adverte:
“Porque se voluntariamente continuarmos no pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas uma expectação terrível de juízo, e um ardor de fogo que há de devorar os adversários”. (Heb. 10:26-27).

Portanto, deixem o engano das campanhas, dos jejuns, dos sacrifícios, dos montes, das árvores frondosas, pois em Jesus todo sacrifício já foi realizado para que experimentemos qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus e todas as demais coisas lhe serão acrescentadas. 
Postar um comentário