terça-feira, 3 de setembro de 2013

OVELHAS NO MEIO DE OVELHAS

Tenho por certo que as aflições presentes não podem se comparar com a glória que há de ser revelada na minha vida eterna (Rm. 8:18) quando eu me encontrar com o meu Senhor Jesus. Esta verdade que Ap. Paulo me descreve tem me sustentado nestes últimos dias, porque depois de algum tempo, percorrendo a carreira da fé, eu começo a entender as aflições que Paulo, como lider, sofria em sua vida. Quero passar a relatar o que vejo na vida deste homem que possa me identificar com o verdadeiro Evangelho de Cristo que tenho assumido deste que me converti a Cristo.
Para aqueles que hoje ousam viver o Evangelho aconselho a buscarem na Palavra de Deus alguns exemplos de como seríamos enganados a partir de nossas escolhas quanto ao viver em Cristo. Do próprio Jesus, recebi as instruções:
“Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são [lobos] devoradores”. (Mt. 7:15). Esta seria a primeira vez que Jesus dá um sinal de alerta quanto a nossa vida no Evangelho, mas por que Ele nos diz isto? Como fazer para identificar esses “lobos”? Há uma maneira de nos mantermos longe deles?
Com certeza não foi isto que Jesus disse, mas ele disse: Guardai-vos!
Em Mt. 10:16  volta a dizer: “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e simples como as pombas.” Aqui está o mistério revelado, e confirmado por Paulo em Atos 20:29-35:
“Cuidai pois de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele adquiriu com seu próprio sangue. Eu sei que depois da minha partida entrarão no meio de vós lobos cruéis que não pouparão rebanho, e que dentre vós mesmos se levantarão homens, torcerão a verdade, para atrair os discípulos após si. Portanto vigiai, lembrando-vos de que por três anos não cessei noite e dia de admoestar com lágrimas a cada um de vós. Agora pois, vos encomendo a Deus e à palavra da sua graça, àquele que é poderoso para vos edificar e dar herança entre todos os que são santificados. De ninguém cobicei prata, nem ouro, nem vestes. Vós mesmos sabeis que estas mãos proveram as minhas necessidades e as dos que estavam comigo. Em tudo vos dei o exemplo de que assim trabalhando, é necessário socorrer os enfermos, recordando as palavras do Senhor Jesus, porquanto ele mesmo disse: Coisa mais bem-aventurada é dar do que receber.”
Eis aqui uma prova de que nós somos enviados como ovelhas ao meio de lobos, mas por quê? Esses lobos seriam “líderes” que estariam levando as ovelhas para longe de Cristo? Não!
Creio que existe um tipo de liderança que exemplifica a liderança de Cristo. Nestes últimos dias temos visto todos os tipos de lideranças, mas uma, em especial, queremos definir aqui.
Primeiramente, quem são eles?
Paulo diz: “O Espírito Santo vos constituiu bispos”. Trata-se de pessoas que foram constituídas líderes pelo Espírito Santo. Agora eu quero ver que sinal leva uma pessoa que foi constituída Pastor (Bispo) pelo Espírito Santo? Ele recebe uma marca especial? Tem um crachá celestial na lapela do seu terno? Está escrito em algum documento que veio do céu? Como saber?
Bem, aqui vai uma dica: Ele é um tipo de pessoa que leva o caráter de Cristo e as marcas de Cristo em sua vida! (Gl. 6:14-17). Paulo não só defendeu o seu chamado Pastoral diante dos Gálatas como também teve que o fazer diante dos Corintios (2 Cor. 10).
Entendo que não é só uma questão de alguém impor as mãos sobre outra pessoa e dizer “eu te consagro”. Isto faz parte, mas não é o chamado, mas sim uma confirmação de reconhecimento humano. Então, quais os critérios que levariam líderes a consagrar outros líderes? Com certeza tem haver como estes homens entendem quem é e o que é a igreja de Deus!
Devemos nos dirigir a carta de Paulo a Timóteo e ver ali as características dos que foram chamados para serem lideres. No capitulo de 3 Timóteo vemos os requisitos básicos visíveis para que se nomeassem, ou consagrassem líderes sobre a igreja. Mas ainda assim teríamos uma questão: “O chamado pelo Espírito Santo!” Tenho por certo que aqui vale lembrar o que disse Jesus na seqüência do texto de Mateus 7:
“Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda árvore boa produz bons frutos; porém a árvore má produz frutos maus. Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má dar frutos bons. Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis”. (Mt. 7:16-20). FRUTOS!
Este é o sinal dos que são chamados pelo Espírito Santo: Eles produzem BONS FRUTOS! Não qualquer fruto, mas BONS FRUTOS!
Mas agora, o mais importante até aqui é que se atentarmos para a palavra de Jesus a cerca dos lobos devoradores poderíamos ver uma revelação: Eles estão disfarçados de ovelhas! Então não são líderes! São pessoas disfarçadas de ovelhas e não de Pastores! Não de líderes, e sim de ovelhas! Há um espírito que domina a mente dessas pessoas! Um espírito de engano, de contenda, de divisão, de disputa, de calúnia, de maledicência, de ira, de porfia, de domínio, de reconhecimento!
Que interessante! Disfarçados de ovelhas! Eles não são lideres,  simplesmente infiltram-se no meio da congregação (reunião) para devorar outras ovelhas. Dizem ser profetas! Eles operam em milagres (curas e prodígios), eles expulsam demônios, dizem trazer consigo a Palavra de Deus! Mas Jesus disse: “Guardai-vos deles” e ainda, conheçam-nos pelos frutos!
Há algum tempo alguém disse: Ovelha gera ovelha! Estes, que são ovelhas, verdadeiramente pelos frutos os conhecereis, ou seja, gerando outras ovelhas e cuidando delas por algum tempo até que sejam entregues a liderança (Jesus Cristo) para que venham crescer na vida espiritual! Os que se dizem ovelhas e não são, estão sempre indo de igreja em igreja, trazendo consigo um currículo de disputas e contentas por onde passam, nunca se firmam na verdade e no amor, o que eles fazem é dividir e nunca buscam a unidade da igreja.
Temos aqui uma luz sobre a Palavra. Estes lobos disfarçados de ovelhas não buscam as almas perdidas, eles se infiltram onde já existem ovelhas por Jesus para devorar as ovelhas do rebanho de Cristo. Em suas vidas é possível perceber que eles nunca estão buscando ganhar almas através do seu próprio testemunho de vida, mas sempre fazem reuniões, a parte da congregação (Ekklésia), para mostrar os seus “dons” e “poder” arrastando consigo outras ovelhas de outras congregações a fim de devorá-las.
No texto que estamos estudando fica fácil percebemos que eles dizem: “Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres?” Fica claro aqui que falta somente uma coisa que os distinguem das verdadeiras ovelhas: Eles não dão alimento! Não ensinam a Palavra de Deus! E por quê? Para não despertar nas ovelhas a fome em conhecer a Palavra de Deus, e assim enfraquecem o rebanho do Senhor! Ovelha verdadeira alimenta a outra ovelha, mas para isto ela tem que ter alimento para si e também para outras! Por isso a necessidades que estejam submissos a uma autoridade, Cristo! Fiquemos com o testemunho de Paulo a cerca do que temos visto até aqui para nos alertar a respeito de certas ovelhas disfarçadas de lobos:
“E, tendo eles chegado, disse-lhes: Vós bem sabeis de que modo me tenho portado entre vós sempre, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia, servindo ao Senhor com toda a humildade, e com lágrimas e provações que pelas ciladas dos judeus me sobrevieram; como não me esquivei de vos anunciar coisa alguma que útil seja, ensinando-vos publicamente e de casa em casa...
“E eis agora, sei que nenhum de vós, por entre os quais passei pregando o reino de Deus, jamais tornará a ver o meu rosto. Portanto, no dia de hoje, vos protesto que estou limpo do sangue de todos. Porque não me esquivei de vos anunciar todo o conselho de Deus”. (Atos 20:18-20; 25-27).
Que os amados irmãos possam identificar os falsos mestres, os falsos profetas, aqueles que não buscam o crescimento do Reino, mas apenas o que lhes é próprio: O ser visto (reconhecido) pelos homens! 
Postar um comentário