terça-feira, 3 de setembro de 2013

ESTOU ME AFASTANDO DE DEUS?

Fico a pensar o que o Senhor Deus quis dizer a Josué a cerca do benefício de se meditar no Livro da Lei de dia e de noite. Já eliminei a possibilidade de se carregar um “rolo” de Escritura em baixo do braço; ou um livro bem arrumado em cima da cabeceira da cama; ou ainda uma Bíblia dentro do porta-luva do carro esperando o próximo culto para dar uma espiadinha nas “promessas de Deus”!
Cheguei a pensar que seria uma leitura sistemática dos Livros da Bíblia seguindo um roteiro anual de “como se ler a Bíblia em um ano”. Ou talvez um campeonato entre amigos para ver quem conseguiria memorizar mais textos bíblicos, e daí estaria armazenando o conhecimento de Deus em meu cérebro. Tudo isto é bom, mas não produz vida em ninguém!
Jesus disse que as Suas palavras são espírito e vida, portanto não se trata de ler a Bíblia ou de decorá-la, mas o de permitir que ela produza em nós um espírito novo e uma nova vida.
A cerca disso o Senhor prometeu: “Também vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne; Ainda porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis as minhas ordenanças, e as observeis”. (Ezequiel 36: 26-27)
Todo esforço terá sido em vão se cada meditar da Palavra de Deus não se produzir em nós um novo pensar, uma nova forma de se fazer as coisas, de se falar com as pessoas, de se relacionar com elas, de se tratar com o teu inimigo, de ver a vida, de se crescer em amor, alegria, fé, mansidão, paciência, fidelidade, domínio próprio, temperança e bondade com as pessoas.
Meditar na Palavra de Deus é uma busca, a partir de Jesus, olhando para Ele, caminhando para dentro do ser, buscando trazer luz aos lugares de trevas que possuímos em nossos maus corações. Meditar na Palavra de Deus é responder a Deus com convicção a cerca de quem Ele é e de quem nós somos e mudarmos para Sua imagem e semelhança.
Eu recebo muitas ministrações diariamente e como são lindas as mensagens de como Deus é bom, de como Ele nos capacita para a vitória, de como Ele faz o céu a terra se moverem em favor dos seus filhos, de como nós temos que acreditar nEle, ter fé nEle, e percebo que as pessoas gostam desse tipo de mensagem. Mas quando o assunto é meditar na Palavra encarnada, fazendo-se uma verificação interior de como Ele é em relação a verdade do meu ser interior (homem interior), das mudanças e transformações que Ele quer realizar em minha mente, espírito e coração aí eu percebo que Este Jesus, Esta Palavra não tem seguidores nem quem nela queira meditar.
“Mas vós não aprendestes assim a Cristose é que o ouvistes, e nele fostes instruídos, conforme é a verdade em Jesus,  a despojar-vos, quanto ao procedimento anterior, do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano;  a vos renovar no espírito da vossa mente;  e a vos revestir do novo homem, que segundo Deus foi criado em verdadeira justiça e santidade”. (Ef. 4: 20-24).
Sei que existem homens de Deus que ainda anunciam a Jesus em suas Igrejas, como também sei que na grande maioria delas o que se quer ouvir é uma “palavra que agrade o ventre”, que seja boa aos ouvidos e que não incomode o ser, não o repreendas, porque a vida já está tão difícil que o que se quer ouvir nos cultos possa levantar o “astral” e trazer de volta a “alto-estima”. Aliás, só existe uma palavra de repreensão na grande maioria delas: Você está roubando a Deus, meu irmão?
Na Palavra que traz um novo espírito e uma nova mente não se quer meditar. Josué foi instruído a meditar em quatro  mandamentos de amor a Deus e seis de amor ao próximo, e não se afastar deste espírito de amor que consistia na Lei, pois assim Deus seria com ele em todos os lugares que a planta de seus pés pisassem. Só de meditar nestes dez mandamentos de amor eu posso verificar junto ao meu ser,  o por quê da falta de alegria que muitos sentem em viver! Por que temos tanta ansiedade, por que vivemos correndo atrás disso ou daquilo, por que não conseguimos aceitar isso ou aquilo, por que não preenchemos o vazio da nossa alma, por que tanta dor e sofrimento?
Certo moço rico perguntou a Jesus o que fazer para alcançar vida eterna. Questionado por Jesus a cerca do espírito de AMOR revelado na Lei de Moisés, ele mentiu ao dizer que estava amando o próximo e Jesus fez questão de fazê-lo entender a verdade. Guardar os mandamentos de amor ao próximo era alcançar vida eterna, então Jesus diz: “Sabes os mandamentos: Não adulterarás; não matarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; honra a teu pai e a tua mãe. Replicou o homem: Tudo isso tenho guardado desde a minha juventude. Quando Jesus ouviu isso, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; vende tudo quanto tens e reparte-o pelos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me”. (Luc. 18: 20-22). Aqui nessa porção de espírito e vida nada se diz respeito a mamom ou dinheiro. Jesus está falando a cerca de um novo espírito de vida, não da obediência da Lei de Moisés, mas da Lei de amor de Cristo. Guardar a Lei de Cristo é amar o próximo como a si mesmo, é dizer que não posso viver com duas coisas enquanto vejo o próximo sem nenhuma! É ter duas túnicas e ver outro nu. É ter duas capas e ver outro sem coberta. É ter três tipos de salada na mesa e dois de carne e ver o outro sem ter o que comer. É gastar centenas de reais em consultas médicas e remédios e não visitar o enfermo para ver se ele está precisando que se reparta com ele o que Deus tem nos dado! É ter a liberdade de ir e vir e não aproveitá-la para visitar quem não a tenha! Estamos dispostos a receber de Deus o único Filho dEle em sacrifício pelo pecado e salvação eterna, e não estamos dispostos a repassarmos este amor! (Jo. 3:16). Dizer Jesus te ama não é amar ninguém!
Meditar na Palavra de Deus é se aproximar de Deus, é se achegar ao próximo, é ouvir a Deus, é ouvir o próximo, é dar razão a Deus, é fugir da demanda com o próximo, deixar que Espírito Santo de Deus mortifique em nós todos as obras infrutuosas da alma (carne).
Até quando veremos o que Deus está fazendo e nunca o que temos feito? Por isso nos afastamos de Deus a cada dia, e mergulhamos na idolatria das nossas próprias vidas! Abandonemos o espírito vacilante!

“Chegai-vos para Deus, e ele se chegará para vós. Limpai as mãos, pecadores; e, vós de espírito vacilante, purificai os corações. Senti as vossas misérias, lamentai e chorai; torne-se o vosso riso em pranto, e a vossa alegria em tristeza. Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará”. (Tiago 4: 8-10).
Postar um comentário