terça-feira, 3 de setembro de 2013

MANIFESTAÇÃO DOS FILHOS DE DEUS

Eu fico me perguntando se esta manifestação é futura ou é no presente tempo. Se for futura, na outra vida, os homens criados jamais poderão perceber os filhos de Deus na terra. Porém há um texto de Paulo que me põem em questionamentos sobre quando começaria a manifestação desses “filhos de Deus”.
“... Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus”. (Rom. 8:14). “... Porque a criação aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de Deus. Porquanto a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que também a própria criação há de ser liberta do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus”. (Rom. 8:19-21)
Lindo este texto que fala acerca do que Deus tem para o planeta. Há uma esperança para o Planeta Terra, ele que está sujeito à vaidade dos homens,  desde do Éden, quando usaram a natureza para obter, de alguma forma algo há mais que eles não possuíam, como por exemplo, uma satisfação da carne, ou talvez apenas dos olhos, ou quem sabe apenas para obter mais conhecimento, seja lá qual tenha sido a tríade de fascínios e desejos vaidosos que eles (Adão e Eva) cobiçaram, o fato é que dali por diante uma sede em seqüência se desencadeou, e quem vem pagando o preço pela vaidade dos homens é a natureza! Um dia toda a criação será liberta do cativeiro da corrupção humana, quando os filhos de Deus se manifestarem na Terra.
Tudo isto nós sabemos e pregamos nos púpitos de nossas “igrejas”, mas são apenas pregações que não podem gerar na Terra filhos herdeiros de Deus, e a razão é muito simples: filhos herdeiros são gerados pelo Espírito Santo, este manifestado aos homens por meio do ouvir e crer, quando se ouve a pregação do Evangelho, uma pregação que Paulo chamou de simples, mas que tornamos complicada e quando não a adulteramos para outros focos e objetivos escusos, verdadeiros estelionatos do Evangelho. Cremos que pregações iguais a da serpente no Éden continuam a serem feitas aos ouvidos de milhares de pessoas no mundo, pregações de como, através do Evangelho, nós podemos obter alguma vaidade nesta vida, e conseqüentemente quem paga o preço é a natureza!
Você não entendeu ainda?
Veja, a primeira necessidade gerada no Planeta Terra qual foi? Alimento? Deus disse:
“Disse-lhes mais: Eis que vos tenho dado todas as ervas que produzem semente, as quais se acham sobre a face de toda a terra, bem como todas as árvores em que há fruto que dê semente; ser-vos-ão para mantimento. E a todos os animais da terra, a todas as aves do céu e a todo ser vivente que se arrasta sobre a terra, tenho dado todas as ervas verdes como mantimento. E assim foi”. (Gen. 1:29-30).
Impressionante, a natureza criada por Deus era auto-sustentável! Animais não comiam animais, homens não comiam animais. Deus disse comam ervas e frutas, pois assim eu sustento vocês e protejo a natureza! Se não foi alimento, o que foi então imprescindível à vida? Nada mais era imprescindível à vida a não ser o que se bebe e o que se come. O que sobra então? Aquilo que não é imprescindível e Paulo chama de vaidade!
Como eu faço para esconder o meu pecado? Cubro ele! Faço aventais que cubram a minha nudez! Quem paga o preço? Novamente a natureza! Folhas de figueiras para cobrir a minha vergonha. Aí Deus sacrifica um animal para cobrir o meu pecado, e quem paga o preço? A natureza é claro! Isto para me dizer que agora somente o sangue de um cordeiro poderá cobrir o meu pecado. Mas como eu faço para matar um animal para sacrifícios contínuos, pois sempre estou na tríade de fascínios cobiçosos. Não que eu esteja preocupado com a tríade, mas em como sacrificar animais (Jesus)! Já sei uso uma pedra! A pedra precisa se moldar a minha mão para “facilitar”, então eu crio um cabo... Daí por diante tudo que sê obtêm para facilitar, acomodar, confortar, proteger, obter, construir, manufaturar, fabricar, etc., vem do processo da tríade do pecado: cobiças dos olhos, cobiças da carne e soberbas pela vida! Quem paga o preço? A natureza é claro! Então ouvimos dos nossos púpitos: Deus tem uma benção para você meu irmão! “Deus” disse que nós comeremos dos melhores bens desta terra, e lá vamos nós nos desejos mais “abençoados por Deus” contribuir para que a natureza pague o preço das nossas vaidades! Vamos retirando da natureza tudo aquilo que nossos olhos e a nossa carne deseja... Mas finalmente, os elementos da terra estão dando os seus primeiros sinais de que este tempo de vaidades está no fim! Glória a Deus!
Eu sei que há filhos de Deus na terra, mas não vejo como eles podem proteger a natureza, pois nos acostumamos a tantas pregações de prosperidade que ficou difícil para nós escolhermos entre uma e outra coisa. Jesus disse que no fim dos tempos um êxodo das cidades para os campos seria feito:

“Então, os que estiverem na Judéia fujam para os montes; os que estiverem dentro da cidade, saiam; e os que estiverem nos campos não entrem nela. Porque dias de vingança são estes, para que se cumpram todas as coisas que estão escritas. Ai das que estiverem grávidas, e das que amamentarem naqueles dias! Porque haverá grande angústia sobre a terra, e ira contra este povo. E cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos destes se completem. E haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; e sobre a terra haverá angústia das nações em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas, os homens desfalecerão de terror, e pela expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto os poderes do céu serão abalados. Então verão vir o Filho do homem em uma nuvem, com poder e grande glória”. Fica o questionamento: Temos sido a manifestação dos filhos de Deus na Terra ou somos contribuintes das manifestações do pecado de Adão e Eva? Sabemos que cada um será julgado pelo que praticou por meio do corpo seja o bem seja o mal! Quando Jesus vier achará fé na terra? Que o Senhor tenha misericórdia de nós!
Postar um comentário